O que fazer perante uma queda de 22,61% na bolsa

12 jun 20190 Comentários

Imagine que certo dia, ao acordar, você da uma olhada na evolução da bolsa de valores e ela está caindo 22,61% em relação ao dia anterior. Para você entender, no dia anterior você foi deitar com 100 reais, e acordou só com 77, 39 e todo mundo ao seu redor dizendo que você vai continuar perdendo dinheiro.

Antes de continuar lendo, por favor, pare um minuto e responda essa pergunta: como você reagiria se isso acontecesse neste exato momento?

Era segunda-feira, 19 de outubro de 1987. A bolsa tinha subido 44% aquele ano, todo um record. Mas naquela segunda-feira a bolsa começou a cair sem freio em Tokio e depois em Hong Kong.

Conforme o dia ia avançando e os mercados ocidentais iam abrindo, o pânico foi se extendendo, primeiro a Londres e Europa e depois aos Estados Unidos.

Parecia o fim do mundo. Todos os mercados a nível mundial entrando em colapso. O índice Dow Jones, um dos maiores da bolsa dos Estados Unidos, caiu aquele dia 22,61%, a maior queda num único dia na história da bolsa americana.

Aquele dia é conhecido até hoje como a segunda-feira negra.

O vídeo a seguir é a noticia dada por um jornal da televisão daquele dia. É importante que você assista, para entender como as pessoas se sentiam enquanto o colapso do mercado estava acontecendo.

 

As expressões utilizadas aquele dia eram pânico, banho de sangue, desastre, apocalipse financeiro, fim do capitalismo, etc.

Além do pânico uma outra coisa muito interessante acontece neste tipo de situações: o pessimismo se extende junto com a crença geral de que o mercado continuará caindo para sempre.

Isso acontece porque o ser humano tem uma dificuldade enorme para pensar a longo prazo. Estamos programados para projetarmos nossa situação atual no futuro e agirmos como se o hoje fosse algo permanente. Nos piores momentos, a imensa maioria das pessoas somente consegue basear sua esperança de um futuro melhor na Fé. Nesses casos, a lógica desaparece.

É essa incapacidade de sermos racionais e aprendermos com a história o que nos leva a cometer erros como vender em momentos de pânico. Além do fato, é claro, de que o ser humano precisa de consenso e sente uma incomodidade extrema ao ir em contra da massa.

Mas perceba o seguinte: o máximo da bolsa aquele ano aconteceu em 17 de agosto. Quem vendeu suas ações durante aquela segunda-feira negra perdeu praticamente 30% das suas economias. Quem vendeu durante essa semana perdeu mais ainda. Veja a evolução no gráfico abaixo:

Mas o que aconteceu com quem manteve suas ações?

Inclusive se você tivesse comprado no momento mais alto, 2 anos depois suas ações estariam no mesmo nivel. Não teria perdido. E se você tivesse tido a racionalidade suficiente para entrar no mercado quando todo mundo estava saindo, 100 dólares investidos aquele dia teriam se transformado, 2 anos depois, em 157,66, uma subida de 57,66%. Veja a evolução no gráfico abaixo:

Mas há mais uma perspectiva. E se você tivesse segurado e mantido essas ações durante exatos 20 anos, até outubro de 2007? Veja a evolução no gráfico abaixo:

Seus 100 dólares investidos no máximo de 1987, justo antes da segunda-feira negra, teriam se multiplicado por mais do que 5, e virado 520 dólares. Se você tivesse comprado no ponto mais baixo daquela semana, 100 dólares teriam se multiplicado por quase 8!! Você teria 797,68 dólares!

Isso é ter mentalidade de longo prazo.

Mas a pesar de simples, não é fácil. Naquela segunda-feira negra, era impossível saber o que aconteceria no futuro. Para não sucumbir ao pânico durante aquele dia, você precisaria entender o valor daquilo em que você investiu, ter perspectiva histórica e ir em contra da massa. E para segurar a onda até 2007, você precisaria ainda passar pela bolha tecnológica do ano 2000.

E para fazer tudo isso, você precisaria de um plano prévio, convicção e firmeza para executá-lo, não precisar desse dinheiro, e não ter investido usando dívida.

De novo: investir não é fácil, a pesar de ser simples.

Bill Ruane disse que se você não está disposto a ver suas ações caírem 50% você não deve possuir ações. Eu vou um passo além disso. Você deve sim possuir ações, e imediatamente mudar sua mentalidade e entender que uma queda de 50% vai acontecer e está tudo bem.

Foi justamente isso que Warren Buffett, o maior e melhor investidor da história, explicou em sua carta de 2013:

As ações da Berkshire não devem ser compradas com dinheiro emprestado. Houve três vezes desde 1965, quando nossas ações caíram cerca de 50% de seu ponto alto. Algum dia, algo próximo a esse tipo de queda acontecerá de novo, e ninguém sabe quando. A Berkshire será quase certamente uma participação satisfatória para os investidores. Mas pode ser uma escolha desastrosa para os especuladores que empregam alavancagem.

Conclusão

  • O investimento em ações é o que traz maiores retornos no longo prazo
  • Invista dinheiro que você não vai precisar
  • Conheça o valor daquilo em que você investiu
  • Tenha um plano que lhe obrigue a agir de forma fria e lógica quando todos ao seu redor estão perdendo a cabeça
  • Pense sempre a longo prazo
  • Nunca, jamais, sob nenhuma circunstância, use dívida para investir
  • Seja medroso quando todos os outros são gananciosos, e ganancioso quando todos os outros são medrosos

E se você quiser saber como aplicar tudo isso na prática, dê uma olhada aqui.

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Junte-se a mais de 1.000 assinantes e receba o melhor conteúdo para investir seu tempo e seu dinheiro

Receba o checklist via e-mail

Receba o checklist via e-mail

Muito obrigado! Você receberá um email de confirmação e depois será redirecionado à página de download.

Share This