Dignidade e bravura

11 dez 20180 Comentários

“Como Cícero diz, nós odiamos os gladiadores se eles são rápidos em salvar suas vidas de qualquer maneira; nós os favorecemos se eles mostrarem desprezo por suas vidas.”

SÊNECA, SOBRE A TRANQUILIDADE DA MENTE, 11.4b

Fiquei pensando um bom tempo sobre esta frase de Sêneca tentando decidir se concordo ou não. Pois às vezes o sensato é fugir de uma luta desnecessária. Porém há, na minha opinião, uma linha muito clara que separa a sensatez de evitar um perigo, da covardia. É a linha do dever e da responsabilidade e deveria nos ajudar a diferenciar bravura de simples orgulho.

Um extremo é colocarmos em risco nossa integridade física sem necessidade (como entrar numa briga com alguém por orgulho) e o outro extremo é o frouxo que se esconde na hora de assumir sua responsabilidade e dar a cara, para não se ver prejudicado. Pela minha experiência é muito comum encontrar estes dois extremos, orgulho e covardia, na mesma pessoa, e ambos são desprezados pelas sociedades saudáveis. As mesmas sociedades que admiram quem tem honra e coragem, que é simplesmente fazermos aquilo que devemos, aquilo que é o correto, independentemente das consequências que vai ter para nós.

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Junte-se a mais de 1.000 assinantes e receba o melhor conteúdo para investir seu tempo e seu dinheiro

Receba o checklist via e-mail

Receba o checklist via e-mail

Muito obrigado! Você receberá um email de confirmação e depois será redirecionado à página de download.

Share This