A lógica errada da manipulação da taxa de juros

2 ago 20190 Comentários

O COPOM, o comité do Banco Central do Brasil que decide a política monetária, decidiu baixar a taxa de juros SELIC. E todo mundo saiu comemorando.

A teoria do banco central ao baixar a taxa SELIC é que as pessoas e as empresas vão pedir mais crédito, que isso vai aumentar o consumo e, teoricamente, as empresas vão precisar contratar mais, vai cair o desemprego, vai aumentar o PIB e todo mundo vai sair tirando foguetes num “círculo virtuoso” de alegria, desenfreio e samba!

Só que não.

O economista austríaco Friedrich Hayek já explicou que a melhor prova de um bom economista é que entende que um aumento do consumo de bens não significa um aumento da demanda de emprego (queda do desemprego).

Porque o aumento do consumo de bens, na verdade, vai trazer uma queda na demanda de bens de capital, ou seja das máquinas que produzem os bens de consumo, e das máquinas que produzem essas máquinas… que é onde está a maior concentração do emprego da economia!

Quando a taxa de juros cai, tanto empresas como famílias tendem a correr mais riscos.

Como o dinheiro custa menos investem em projetos com menor retorno e mais arriscados nos quais não teriam investido com juros mais altos.

Antes ou depois esses projetos mais arriscados falham e não entregam os retornos esperados.

O problema, então, é que os projetos empreendidos são os projetos errados e precisam ser mudados.

As empresas precisar parar esses projetos e realocar máquinas e pessoas para projetos que sejam lucrativos.

Como o mercado de trabalho é tão engessado as pessoas não conseguem ser recontratadas fácilmente em outros projetos.

A mesma coisa acontece com as máquinas, que têm geralmente utilidades muito específicas.

Como esse reajuste não acontece, as dívidas começam a não ser pagas e as pessoas começam a ser demitidas.

Essas pessoas por sua vez começam a não pagar suas dívidas também.

Hoje a inadimplência está em máximos, o desemprego continua alto e o PIB está parando de crescer.

Aí entra o BC e decide baixar ainda mais os juros!

Mas o que acontece quando, nestas circunstâncias, baixamos a taxa de juros?
Ao baixar a taxa de juros as empresas e as famílias têm a possibilidade de se refinanciar novamente, ou seja pagar suas dívidas criando novas dívidas.

Mas fazem isso continuando nos mesmos projetos errados. O reajuste da economia não acontece.

Só que antes ou depois a realidade se impõe e ninguém refinancia indefinidamente quem não paga.

E quando a crise chegar (e sempre chega) será bem mais profunda do que teria sido se tivesse se permitido o ajuste.

É como estar de farra, bebum perdido e de repente a cachaça termina. Se tomamos mais cachaça a farra continua, mas a resaca será maior… se não acabamos no hospital em coma alcoólico.

Então o que fazer? Deixar os juros como estão e realizar mudanças estruturais:

  • Desregularizar a economia
  • Liberalizar o mercado de trabalho
  • Reduzir o setor público
  • E reduzir impostos

Sem esses ajustes, baixar os juros é só pão para hoje e fome para amanhã.

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Junte-se a mais de 1.000 assinantes e receba o melhor conteúdo para investir seu tempo e seu dinheiro

Receba o checklist via e-mail

Receba o checklist via e-mail

Muito obrigado! Você receberá um email de confirmação e depois será redirecionado à página de download.

Share This